Veja os tipos de financiamento imobiliário e as suas vantagens

tipos de financiamento imobiliário

A aquisição de um imóvel requer um planejamento para pagamentos de longo prazo, pois os recursos financeiros necessários não são baixos. Por isso, muitas pessoas contam com um financiamento na hora de conquistar a casa própria. Existem vários tipos de financiamento imobiliário no mercado, tanto para imóveis novos quanto para usados. Se você quer comprar um imóvel, mas ainda está em dúvida quanto às opções de financiamento, continue lendo!

Fluxo das parcelas mensais

O financiamento é um contrato celebrado entre o banco, cedente dos recursos, e o mutuário, a pessoa que contrai a obrigação de pagar pela aquisição de um imóvel. As parcelas mensais representam o ponto mais importante de um contrato de financiamento imobiliário e elas podem ser crescentes ou decrescentes, dependendo do tipo de contrato que for assinado.

Basicamente, uma prestação é composta do valor a ser amortizado do saldo devedor e dos juros. A forma como os juros são cobrados define o tipo do financiamento, que pode ser denominado como Sistema Price, SAC ou Sacre.

Sistema Price

O Sistema Price foi bastante popular no Brasil, mas já não é mais tão utilizado nos financiamentos imobiliários brasileiros. Por aqui, ele é largamente utilizado em financiamentos de automóveis e outros bens duráveis, inclusive eletrodomésticos, no chamado crédito ao consumidor.

Nessa modalidade, o valor das prestações — composto por juros decrescentes a cada mês mais amortizações, essas crescentes — resulta em um fluxo de pagamento em parcelas fixas. A título de ilustração, tomemos como base um financiamento com parcela de R$1.000. Na primeira parcela, o valor dos juros será o mais alto de todo o período do financiamento e a amortização terá um valor reduzido. No mês do último pagamento, o valor da parcela será o mesmo, mas a parte dos juros será a menor de todo o financiamento, restando à amortização o maior valor de todo o financiamento.

Foi deixando de ser utilizada nos financiamentos imobiliários no Brasil em razão de não se ajustar bem com a combinação entre inflação e longo prazo. A perda de valor real da moeda reduz o impacto das amortizações em qualquer sistema, porém no sistema Price, ocorrem distorções difíceis de serem corrigidas ou absorvidas.

SAC

SAC significa Sistema de Amortização Constante e, conforme o próprio nome diz, a diminuição do saldo devedor terá o mesmo valor em todos os meses de vigência do contrato. Como sofrem reajuste por um índice inflacionário, normalmente a TR, é mais equilibrado do ponto de vista econômico-financeiro, e ainda pode acontecer de as prestações diminuírem durante os meses de vigência do financiamento.

Os juros são decrescentes e a amortização, claro, é constante durante todo o período. Vamos analisar outra situação. Imagine um imóvel financiado em 300 meses com um valor de R$300 mil. A amortização será constante e de R$1.000 mensais. Se os juros mensais forem de 1%, incidirão no primeiro mês sobre o saldo devedor e serão de R$3.000. A primeira parcela será de R$4.000.

Na segunda parcela, amortizada em R$1.000, o saldo devedor será de R$299.000 e os juros de R$2.990. Sendo assim, ela será de R$3.990. Essa redução continuará ocorrendo até a parcela de número 300, que será a menor de todas.

Sacre

O Sistema de Amortização Crescente é uma mistura do SAC e do Sistema Price. Nele, as prestações começam mais altas e após determinado período, passam a diminuir. Também são reajustadas pela TR, responsável pela correção monetária dos valores.

As amortizações vão aumentando e os juros vão diminuindo durante a vigência do contrato, por isso ele é uma mistura dos dois primeiros. Como as prestações também são decrescentes, tendem a um impacto para o mutuário e costuma resultar e menores níveis de inadimplência.

Agora que você já sabe os detalhes dos sistemas mais utilizados de financiamento imobiliário, escolha o melhor momento e a melhor forma para aquisição do seu imóvel. Enquanto isso, guarde dinheiro e acompanhe as nossas novidades! Não se esqueça de deixar um comentário se ainda estiver com dúvida.

Compartilhe, curta, recomende:

Deixe um comentário