O que esperar do mercado imobiliário em 2018? Confira!

O ano de 2017 foi considerado um período turbulento, mas de início de recuperação da economia brasileira. A crise no país dificultou a compra e venda de imóveis, principalmente por conta da perda do poder aquisitivo da população, do aumento do endividamento e do baixo emprego. Porém, a boa notícia é que o mercado imobiliário em 2018 pode voltar a crescer!

Quando o assunto é o setor imobiliário, a palavra de ordem em 2017 foi cautela. Em 2018, contudo, há grande expectativa de que o mercado de imóveis melhore consideravelmente. No post de hoje você vai acompanhar alguns dados e concluir sobe o que esperar desse segmento para esse ano. Continue a leitura e saiba mais!

Como foi o cenário em 2017?

Uma pesquisa encomendada pelo Secovi-SP (Sindicato de Habitação de São Paulo), afirmou que, na cidade de São Paulo, foram comercializados 10.991 unidades, o que significa um aumento de 20,8% comparado a 2016.

Apesar da melhora, existe um certo desequilíbrio quando o assunto é o padrão dos imóveis comercializados. As compras que mais evoluíram foram as realizadas por meio do programa Minha Casa, Minha Vida, enquanto os setores de médio e alto padrão não tiveram um aumento significativo.

A diminuição da taxa de juros básica da economia em 2017 pode contribuir muito para o crescimento, mesmo que lentamente, do setor no ano de 2018.

Como estão os índices para 2018?

Um dos índices mais importantes para o mercado imobiliário é o IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado), usado para corrigir prestações em boa parte dos contratos imobiliários. Ele é aplicado, por exemplo, sobre parcelas de alguns financiamentos e, na maioria dos casos, diretamente no aluguel.

Depois de uma série histórica negativa, puxada principalmente pela redução do preço dos alimentos e outras commodities, há uma expectativa de que o índice volte a crescer, tornando a relação entre alugar e comprar menos favorável ao aluguel, por exemplo. 

A projeção de baixa inflação, associada a um crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) em torno de 2,51%, deságua ainda num aumento no poder de compra da população em geral.

Quais são as tendências de imóveis?

Há duas vertentes que prometem fazer sucesso no mercado imobiliário em 2018: a do consumo consciente, de uma nova geração que quer compartilhar um imóvel, ou encontrar no minimalismo uma forma mais leve e prática de passar o dia a dia.

Por outro lado, os imóveis de luxo também apresentam um aumento no interesse de quem tem o poder aquisitivo mais alto. Hoje em dia, optar por um apartamento ou casa que ofereça todo o conforto possível é uma opção prática para quem prima pela segurança da família e pela praticidade em ter tudo por perto.

Portanto, o aumento da procura por lofts, casas menores e apartamentos de locação para compartilhar, é uma realidade que tende a expandir em 2018. A procura por imóveis de luxo também deve crescer, já que a facilidade nas condições de pagamento pode ser crucial para a decisão de compra.

Ao que tudo indica, o mercado imobiliário em 2018, será repleto de boas notícias e anunciará boas novas, não apenas para o próprio segmento, mas também para a economia do país. Além do aumento do poder aquisitivo da população, as eleições desse ano também podem afetar positivamente os números do setor e o ambiente negocial em geral do Brasil.

Se você quer ser um visionário em 2018 e começar agora mesmo a oferecer seu imóvel, entre em contato conosco e receba as melhores orientações para aproveitar o bom momento!

Compartilhe, curta, recomende:

Deixe um comentário