Investir em imóveis: vale a pena?

investir em imóveis

É bastante comum que indivíduos e famílias adquiram imóveis não só para moradia, mas também para investimento. Porém, muita gente ainda tem dúvidas na hora de começar a investir em imóveis. Será que é um investimento que traz um bom retorno? Vale a pena  se for comparado com outras modalidades de investimento à disposição no mercado? No post de hoje vamos debater os aspectos mais relevantes para esta modalidade de investimento. Continue lendo e tire suas dúvidas!

O tripé liquidez, segurança e rentabilidade

Quando se investe diretamente em imóveis, o que não é o caso de aplicações em Fundos de Investimento Imobiliários, o valor aplicado ficará integralmente imobilizado em um ou mais imóveis. Caso você queira transformar o investimento em dinheiro, ou seja, liquidá-lo, em um curto prazo, pode ser uma tarefa complicada. Investimentos em imóveis são tradicionalmente considerados de baixa liquidez, pois, em razão da infungibilidade destes bens, é natural alguma demora para que seu bem seja trocado por dinheiro vivo.

No entanto, em cenários instáveis, este é considerado um dos investimentos mais seguros: quem nunca ouviu o slogan “imóvel, moeda forte”? Na verdade, o que parece haver, é uma percepção de menor volatilidade quando se compara o investimento em imóveis com alguns dos mais conhecidos tipos de investimentos financeiros ou em ações.

Para analisar a rentabilidade, considere as rendas líquidas de aluguel em comparação com o recebimento de juros ou dividendos de empresas, bancos ou governos (sempre descontada a inflação da moeda, claro, além de tributos). Em mercados ou segmentos com pouca oferta de imóveis, é possível que você consiga rendas líquidas médias até mesmo maiores que as oferecidas por muitos investimentos concorrentes.

Ao investir, considere um horizonte de longo prazo

Em razão da menor liquidez, do montante aplicado e dos custos associados às operações imobiliárias, é mais natural que se pense nos investimentos em imóveis como investimentos de longo prazo. E, supomos, você quererá fazer a melhor escolha, dentro de suas possibilidades, não é mesmo?

Neste caso, torna-se relevante investigar as perspectivas reais de valorização do bem ao longo do prazo de investimento. Ainda que seja senso comum que imóveis sempre se valorizam, mesmo nas crises, etc., o que em linhas gerais é verdade quando se tem um déficit habitacional de proporções como a brasileira, isto não acontece em todos os mercados e em todos os tempos, assim como sempre haverá perspectivas mais favoráveis para um determinado tipo de imóvel ou região que para outros.

Considere que essa valorização terá pouca importância enquanto você detiver o imóvel, pois esse é um valor que você só perceberá quando efetivamente realizar o desinvestimento, ou seja, vender o imóvel. Mas se a valorização se refletir num aumento de rentabilidade, o que faz sentido, então ela lhe será útil mesmo enquanto conserva o investimento.

E por fim, saber quando desejará desinvestir, e se o desejará, servirá para tomar decisões mais conscientes sobre essa questão. Embora o valor de um imóvel dependa em boa medida de questões macroeconômicas, você levará em conta perspectivas futuras em relação a outros fatores que influenciam o valor de um imóvel e, para isso, poderá contar com a opinião qualificada de um corretor imobiliário.

Dessa forma, caso você tenha um horizonte de longo prazo para seu investimento — ou seja, que poderá mantê-lo enquanto aguarda o retorno —, é uma boa ideia comprar um imóvel que renda bom aluguel e/ou tenha perspectivas de valorização. Você estará diante de um investimento seguro, tangível e útil, cujo valor não será simplesmente corroído pela inflação, e sabendo que poderá vendê-lo, ainda que demore um pouco, quando quiser.

Planeje antes de adquirir seu imóvel e não o contrário

Alguns investidores pensam em adquirir uma unidade imobiliária e, a partir daí, decidir o que fazer para ganhar dinheiro com ela. O caminho deve ser exatamente o oposto. Você quer alugar para executivos? Para estudantes? Para casais jovens e sem filhos? Ou pretende alugá-lo para fins comerciais? Essas são perguntas que devem ser respondidas antes da aquisição de um imóvel para investimento.

Se você adquirir um imóvel em uma área predominantemente residencial, não haverá a possibilidade de alugá-lo para uma empresa. O mesmo ocorrerá se a aquisição for de uma loja no centro da cidade — é pouco provável que você consiga locá-la para um executivo, por exemplo.

Assim, comece averiguando o que terá maior probabilidade de retorno dentro do prazo previsto para manutenção do investimento. Quanto maior for o seu prazo, maiores são suas possibilidades e chances de colher bons resultados.

Se o seu plano for alugar para estudantes, adquira um imóvel menor, mobiliado e próximo a uma universidade. Se for alugar para casais, conjuntos residenciais próximos ao centro da cidade ou ao transporte público também são boas pedidas.

O importante é que você defina o que pretenderá fazer com o imóvel primeiro, para depois sair atrás de um para adquirir. Há muitos casos de pessoas que acreditam terem feito um “excelente negócio”, pois adquiriram um imóvel com um bom preço, mas não conseguem alugá-lo ou vendê-lo na sequência, tendo que arcar com custos de manutenção, impostos e benfeitorias sem qualquer retorno de aluguel nem expectativa de venda futura.

Investir em imóveis pode trazer um bom retorno financeiro, mas a palavra-chave é planejamento. Sem um plano muito bem definido previamente à aquisição, terá muitas chances de seu investimento não trazer os resultados esperados. Já cogitou a possibilidade de investir em imóveis? Ou já investiu? Deixe um comentário com suas impressões sobre essa modalidade de investimento!

Compartilhe, curta, recomende:

Deixe um comentário