Entenda como funcionam as garantias locatícias

garantias locatícias

Quem procura imóveis para alugar logo se depara com uma série de exigências dos proprietários ou das corretoras de imóveis. Dentre elas, podemos destacar a comprovação de renda e as garantias locatícias, muito comuns em quase todos os contratos de aluguel. A comprovação de renda normalmente não gera muitas dúvidas nos locatários, afinal é muito simples de ser entendida. No entanto, as garantias podem se tornar um verdadeiro empecilho para quem pretende fechar um acordo.

Acontece que muitas vezes a proposta de aluguel deixa em aberto qual tipo de garantia o locatário pode prestar e, por não conhecer todas as possibilidades, ele pode perder uma boa oportunidade — principalmente se não contar com um fiador. Para ajudar você que procura um imóvel para alugar, resolvemos trazer, neste post, algumas explicações sobre as três principais garantias locatícias. Confira!

Fiador

Vamos começar pela escolha mais corriqueira, que é a fiança. Nesse modelo, o fiador se torna o responsável pela dívida, podendo responder por ela de duas formas diferentes: a primeira é a responsabilidade solidária, em que o locador pode cobrar tanto do locatário quanto do fiador, sem ordem de preferência; a segunda é a responsabilidade subsidiária, em que primeiro os bens do locatário respondem pela dívida e só então o fiador é chamado.

Na maioria dos casos, exige-se que o fiador deve ter imóvel quitado em seu nome e na cidade em que o aluguel será realizado, mas isso não é necessariamente uma regra. O fiador deve, sobretudo, comprovar uma renda mensal compatível com a assunção de tal responsabilidade, e cuja conveniência será julgada pelo proprietário ou pela imobiliária que lhe presta o serviço.

A grande vantagem desse modelo é que ele não gera grandes custos para o locatário; no entanto, desde o início causa uma série de desconfortos, o que pode se agravar muito, em caso de descumprimento do contrato.

Seguro fiança

Essa é uma das garantias mais eficientes para o locador e a sua grande vantagem é ser acessível a todos os locatários. No seguro fiança, o locatário contrata uma companhia de seguros para que ela cumpra o papel de fiadora do imóvel. Assim, caso haja inadimplência, será ela a responsável pelo pagamento dos aluguéis atrasados.

As seguradoras cobram um preço para prestar tal garantia, que depende da análise de risco que ela fará a respeito da pessoa garantida, podendo desde recusá-la, como de aceitá-la cobrando de 1 a 2 vezes o valor da locação a cada ano de cobertura. Contratar uma seguradora, apesar do custo, é bastante confortável para aquele que, sem poder contar com apoios pessoais locais, precisa resolver a sua locação o mais facilmente possível.

A única desvantagem da garantia securitária é que ela significa uma despesa extra no orçamento do locatário.

Caução ou depósito

Quando a imobiliária ou o proprietário aceitam esse tipo de garantia, essa pode ser uma boa opção para o locatário. Isso porque, na caução, o inquilino deve depositar, no início do contrato, um valor de até três vezes o preço do aluguel em uma conta poupança definida pelo locador. Assim, caso haja inadimplência ou danos causados no imóvel, o dinheiro depositado responderá pela dívida.

Pode-se caucionar uma locação com, além de dinheiro, outros bens móveis ou imóvel à livre negociação das partes. Embora não seja uma prática tão comum, é possível por exemplo, usar automóveis, equipamentos, títulos de capitalização adquiridas especialmente para esse fim, imóveis, etc, tendo cada caso uma forma de constituição formal, e em geral, bem menos custosa que a contratação de um seguro.

E por fim, vale ressaltar que, uma vez constituída a caução, e desde que o bem dado em garantia permaneça intacto, ela persiste por todo o tempo de locação, sem que se tenha que renovar a cada ano, por exemplo.

A grande vantagem desse tipo de garantia é que o inquilino pode ter ressarcida por completo, no final do contrato, a garantia oferecida, caso não tenha deixado dívidas ou causado danos ao imóvel, constatado por vistorias. E além de nem sempre esta ser uma opção disponível para o interessado na locação, ao contrário de quem pode contar com algum fiador, é preciso ter uma quantia em dinheiro, ou o bem, para conseguir alugar.

Conseguiu tirar suas dúvidas sobre garantias locatícias? Quer aprender ainda mais sobre elas? Baixe nosso e-book especializado no tema!

Compartilhe, curta, recomende:

Deixe um comentário