Entenda como funciona a valorização de imóveis de uma vez por todas!

imagem ilustrativa de valorização de imóveis

Valorização de imóveis é um assunto que está sempre presente quando se fala em comprar uma propriedade. Afinal, esse é um investimento que, assim como qualquer outro, pode ser bom ou ruim.

Também estamos falando de algumas dezenas de milhares de reais que você pretende desembolsar, seja para morar definitivamente, passar alguns anos, estabelecer um comércio ou até mesmo disponibilizar para locação.

Para que você faça uma boa compra e não seja assombrado pelo fantasma da desvalorização depois de algum tempo, resolvemos fazer este post para explicar a valorização de imóveis de uma vez por todas. Confira!

Valorizado ou desvalorizado?

Alguns fatores que influenciam o preço dos imóveis são bem óbvios, como bairro, trânsito da região e materiais usados na construção.

Outros aspectos, contudo, nem sempre são lembrados ou levados em consideração pelos compradores. Para você não ter dores de cabeça em um futuro próximo, listamos os mais diversos a seguir.

1. Acessões do imóvel

Quanto mais acessões e facilidades o imóvel oferecer, mais valorizado ele será. Piscina, sauna, brinquedoteca, equipamentos de ginástica, área para caminhada e espaço gourmet são alguns dos benefícios mais comumente encontrados em novos prédios para atrair compradores com a promessa de comodidade.

Não ter que sair de casa para ir à academia ou fazer uma caminhada, ter espaço de sobra preparado para a brincadeira das crianças e uma área de lazer para adultos são coisas que aumentam a sensação de segurança e satisfação.

2. Comodidades

Há diversos itens que fazem parte da comodidade de um imóvel.  Fica próximo a supermercados? Farmácias? Escolas e restaurantes, assim como shoppings, também entram na lista. Tudo isso para diminuir seu tempo no trânsito.

Facilidade de acesso também é um ponto muito importante. Quantas linhas de ônibus passam pelos arredores do imóvel? O trânsito costuma ser tranquilo?​

Vale lembrar que também é importante saber qual é o planejamento da prefeitura para aquela área. Existem planos de construção de uma estação de trens metropolitanos na região, por exemplo?

Imóveis mais próximos da praia, com vista para o mar, são mais desejados, e por isso, costumam desempenhar um preço maior, assim como qualquer tipo de imóvel com vizinhança nobre na cidade. Porém lembre-se: a região rejeitada hoje, pode vir a ser muito procurada amanhã.

3. Segurança

A taxa de criminalidade não é o único fator levado em conta aqui. Há sistema de segurança no imóvel? Porteiro 24h? Segurança?

Outro ponto importante é saber se o imóvel é próximo a áreas de risco, como grandes terrenos abandonados, que são possíveis alvos de invasão, focos de doença, entre outros problemas.

4. Imóvel na planta

Segundo Kênio de Souza Pereira, presidente da Comissão de Direito Imobiliário da OAB-MG, comprar um imóvel na planta não é mais tão vantajoso desde 2013. Antes, a economia com relação ao preço final podia chegar até 50% para compras na planta — graças a uma valorização de 15% ao ano acima da inflação.

Atualmente, com a expectativa de 7%, a valorização costuma ser menor que a inflação do ano, a ponto de alguns imóveis serem vendidos por um preço menor que o ofertado na planta.

Ainda há uma chance de valorização, no entanto. Então é bom fazer muitas contas para considerar se há vantagem no negócio.

5. Dentro do imóvel

Por conta de uma melhor ventilação, vista privilegiada, menor quantidade de insetos e outros benefícios, andares altos são mais valorizados.

Alguns imóveis são projetados para permitir reformas sem maiores problemas, e isso é um ótimo argumento para usar durante a venda. O contrário também é válido: modificações extremamente pessoais podem desvalorizar.

A posição do sol no ambiente ao decorrer do dia também é vital para evitar certos desconfortos aos moradores, assim como o uso de acabamentos de fácil limpeza e manutenção ajudam na valorização.

Gostou das nossas dicas sobre valorização de imóveis? Então nos acompanhe nas redes sociais e continue recebendo novos conteúdos. Estamos no Facebook, Twitter, Google Plus e LinkedIn!

Compartilhe, curta, recomende:

Deixe um comentário