Descubra como uma boa avaliação de imóveis usados é feita

imagem ilustrativa de avaliação de imóveis usados

A precificação adequada no mercado imobiliário pode ser considerada uma arte, pois deve levar em conta uma infinidade de fatores capazes de influenciar o valor de um imóvel. Para quem quer comprar, vender ou alugar, é essencial entender o que deve ser considerado para uma correta precificação.

O fato é que somente um estudo dedicado pode retornar um resultado confiável. No entanto, dá para ampliar os conhecimentos do setor e entender um pouco melhor a forma pela qual esse julgamento é realizado. Confira o conteúdo a seguir e aprenda mais sobre esse tema!

Localização

Muitos especialistas consideram a localização como o item mais importante na precificação de propriedades e isso não é à toa: uma boa avaliação de imóveis deve levar em conta principalmente o seu potencial para suscitar o interesse do público, seja para moradia, seja para o desenvolvimento de negócios.

Problemas de insegurança que sejam facilmente constatáveis, por exemplo, deprimem o interesse das pessoas e por consequência, afetam o valor de todos os imóveis numa determinada região. Da mesma forma, facilidade de acesso a vias de alto desempenho, transporte público de qualidade e serviços como assistência à saúde e educação de qualidade, influi positivamente no interesse do público e eleva valor médio de todos os imóveis da região.

Por isso não são comparáveis imóveis localizados em áreas diferentes.

Planta

Plantas baixas ou divisões internas refletem em muito o estilo de viver da época da construção. Itens como a existência de lavabos ou quartos com banheiros, as chamadas suítes, foram inovações incorporadas ao modo de vida das famílias de tal forma que quase a unanimidade das pessoas entende que um imóvel com essas facilidades vale mais que outro que não os tem.

O profissional de avaliação de imóveis levará em consideração o perfil e o modo de vida do público de interesse para determinado imóvel para estimar se a divisão interna e disposição de seus cômodos estão contribuindo ou trabalhando contra o seu valor. Dessa constatação pode até mesmo surgirem indicações de melhorias que agreguem mais valor do que o custo de implementá-las.

Embora pareça um contrassenso, nem sempre conceitos modernos são fatores de valorização: se o são, muitas vezes isso se dá mais pela raridade de opções no mercado do que de fato por agradar a maioria das pessoas. Um exemplo são os apartamentos com grandes terraços abertos ou enormes áreas sociais e diminutas dependências íntimas. Já há quem entenda essa divisão uma desvantagem em conforto, especialmente para famílias com filhos adolescentes.

Muitas pessoas se mudam pensando em fazer alterações para adequar o imóvel às suas necessidades e expectativas. Assim, imóveis com espaços multiuso, com flexibilidade para adaptações, são capazes de atender ao gosto de mais pessoas, e isso também é uma forma de valor.

Acabamento

Um bom acabamento certamente agrega valor a qualquer imóvel, pois esse é o item mais rapidamente visualizado pelo público interessado, e o grande responsável pela primeira impressão deixada na mente das pessoas. Porém o conceito de bom acabamento precisa ser bem compreendido: não se trata necessariamente de luxo, trata-se de bom e adequado.

Um bom acabamento deve ser resistente, durável, bonito, fornecer conforto acústico, térmico, visual, etc. Como o acabamento pode custar parte muito significativa do custo total de uma edificação, deve ser planejado muito racionalmente para que seu custo não suplante o valor efetivo que ele agrega ao imóvel.

Na hora da avaliação para eventual precificação, o acabamento é considerado, e sua qualidade importará na valorização ou desvalorização do imóvel. Pedras e madeiras nobres, por exemplo, contribuem para a valorização. Já pintura descascando, fechaduras pouco seguras ou pisos baratos, depreciam o imóvel como um todo.

Diferenciais

Por fim, um imóvel que conte com alguns diferenciais em relação à média do existente no mercado terá um valor maior que os demais. Contar com uma bela varanda ou um amplo quintal, quando o padrão da região não costuma tê-los, por exemplo, será um ponto de relevância a ser valorizado.

Já as vagas na garagem são um desejo muito comum nos grandes centros urbanos, pois é de conhecimento geral que os transportes públicos do Brasil são ineficientes. Espaços para um ou dois carros em contraposição com a ausência deles interferem pesadamente no valor de um imóvel, e por consequência, na correta precificação.

Parecer Técnico de Avaliação

Contar com um Parecer Técnico de Avaliação Mercadológica (PTAM) é uma das maneiras mais seguras de obter suficiente informação para precificar um imóvel. Esse documento pode ser elaborado pelo corretor avaliador e vai apresentar conclusões embasadas sobre o preço o valor médio atual da propriedade estudada.

O profissional certificado dispõe de conhecimento técnico e experiência mercadológica para orientar a precificação adequada, mas para isso é necessário que antes ele faça o estudo prévio dedicado ao imóvel a ser precificado.

O Parecer Técnico PTAM, além de orientar negócios de venda e compra, é instrumento largamento utilizado para autorizar financiamentos, leilões e contratação de seguros.

Descobriu como uma boa avaliação de imóveis é feita? Gostou do conteúdo? Então aproveite para saber o que você deve considerar na hora de comprar um imóvel!

Compartilhe, curta, recomende:

Deixe um comentário