Conheça todas as taxas e os custos extras para comprar um imóvel

imagem ilustrativa de custos para comprar um imóvel

Adquirir uma propriedade e gerar patrimônio é algo muito desejável para qualquer pessoa. Afinal, sair do aluguel e ter bens de família ajudam a passar pelos momentos de crise com mais facilidade. No entanto, vale lembrar que é preciso arcar alguns custos para comprar um imóvel.

Pouca gente pensa nisso e foca mais no valor à vista ou na parcela do financiamento, mas o fato é que existem algumas despesas que, quando não consideradas, podem representar um grande peso no planejamento financeiro do comprador. Quer descobrir quais são elas? Então confira o conteúdo a seguir!

ITBI

O ITBI (Imposto de Transmissão de Bens Imóveis) é um dos custos de aquisição de um imóvel com que todo comprador precisa arcar. O seu valor é variável de acordo com cada cidade, mas não costuma ser maior do que 3% do preço total. Existe um abatimento para unidades financiadas pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH).

Em alguns casos, a transferência pode ter isenção dessa taxa. Existem municípios nos quais funcionários públicos municipais não precisam pagar o ITBI na aquisição do primeiro imóvel, por exemplo. Existe um prazo determinado pela prefeitura para quitar essa despesa e há multa para quem atrasa.

Escritura pública

A escritura pública é outro dos principais custos para comprar um imóvel. No entanto, ela só se aplica para unidades que forem compradas sem a interveniência de um agente financeiro, pois, quando se financia uma propriedade, o contrato de financiamento substitui a escritura pública.

O valor é tabelado e varia de acordo com o Cartório Tabelionato de Notas de cada estado. Esse documento é exigido por lei para transações imobiliárias e é fundamental para validar formalmente o ato jurídico da compra.

Registro de imóvel

Uma vez que o comprador tenha o ITBI recolhido e a escritura em mãos, é hora de partir para o registro de imóvel. Esse documento é emitido pelo cartório da cidade e tem como função primária mostrar legalmente quem é o dono efetivo de uma propriedade e minutar o histórico de ocorrências relativas ao bem e seus antigos proprietários.

O valor da tarifa varia de um Estado para outro, mas é calculada tendo por base uma tabela referenciada de valores, normalmente publicada pelas associações dos registradores. Varia de zero a cerca de 1% do preço do imóvel. Vale lembrar que alguns bancos financiadores aceitam incluir este custo, bem como o ITBI, no montante financiável, dividindo-os em prestações.

Seguros

Existem alguns seguros que são obrigatórios para quem faz um financiamento pelos Sistemas Financeiros, por exemplo o de Habitação. São eles os seguros contra MIP (Morte e Invalidez Permanente) e o para DFI (Danos Físicos do Imóvel).

O preço de ambos costuma ficar entre 3 e 5% do imóvel, mas podem variar muito, principalmente o MIP, fortemente dependente da idade do mutuário. São cobrados juntamente com cada parcela do empréstimo, e só são devidos, enquanto não for quitado o saldo do principal.

Esses são os principais custos para comprar um imóvel. Para saber mais, inclusive para saber antecipadamente como vai ser no caso de uma venda ou locação futura, acesse nosso principal artigo sobre custos do negócio imobiliário.

Achou complicado? Precisa de ajuda especializada? Então entre em contato conosco e receba o auxílio de quem entende do mercado!

Compartilhe, curta, recomende:

Deixe um comentário