Como escolher um bom corretor de imóveis

um bom corretor de imóveis

Em uma operação de compra, venda ou aluguel de um imóvel, seja ele residencial ou comercial, ainda é muito comum surgir a dúvida de como escolher um corretor de imóveis, ou seja, aquele que irá adicionar valor à transação que está sendo efetuada. Um bom corretor de imóveis é o profissional que lhe prestará serviços de qualidade para que você obtenha o máximo de desempenho em sua negociação, quer isso signifique uma maior velocidade, mais segurança, mais dinheiro (ou menor investimento), ou qualquer outro objetivo prioritário que você tenha eleito.

Mas…como escolher um bom corretor de imóveis?

A primeira ação que deve ser tomada é buscar um corretor com atestada capacidade, ou que tenha ao seu lado o apoio institucional de que necessite para bem desempenhar sua função. Afinal, este profissional poderá ser o grande responsável pelos resultados na negociação de seu imóvel ou por auxiliá-lo em uma compra ou ainda em sua operação de aluguel, e você certamente precisará que tudo transcorra com segurança e conveniência.

1. REGISTRO NO CRECI

Ao procurar um profissional com todas estas habilidades, não se esqueça de verificar a sua habilitação, ou seja, se este possui o necessário registro no CRECI, que é o Conselho Regional de Corretores da Região. Qualquer pessoa, mesmo pela internet, pode consultar se o profissional está devidamente registrado no órgão, o que irá lhe garantir que o corretor não só possui qualificação mínima para exercer a profissão, como também de que se submete à fiscalização federal e às normas do Código de Ética do seu Conselho.

2. CORRETOR EM IMOBILIÁRIA OU CORRETOR INDEPENDENTE

Embora não se possa dizer que, necessariamente, o trabalho de mediação imobiliária seja melhor feito através de imobiliárias que de corretores independentes, ou ao contrário, já que a qualidade depende do preparo, da especialidade, do compromisso individual, assim como da boa estruturação e gestão de processos internos, aqui cabe uma primeira distinção: as empresas têm responsabilidade civil objetiva e os profissionais independentes, apenas subjetiva, em face do cliente e do negócio realizado.

Feita essa primeira observação, para tudo o mais, vale aquela velha máxima em serviços: bons serviços e boas condutas, tendem a ser replicadas, e então…

3. BUSQUE POR REFERÊNCIAS

Você sempre poderá checar as referências do profissional escolhido, pedindo a ele mesmo uma lista com clientes que já foram atendidos e que possam lhe passar detalhes de como ocorreu a transação, de como foi a sua experiência. Ligue para estes clientes e pergunte como se deu o processo de venda, compra ou aluguel do imóvel e se estes estão satisfeitos com o corretor, se se trata de um profissional atencioso e dedicado, se está sempre disponível e se faz o melhor de si para concretizar as operações em que trabalha.

4. ESTRATÉGIA DE ATUAÇÃO

Converse com o corretor e pergunte qual será a sua estratégia de atuação, se ele tem um plano que vise à obtenção dos resultados. Desta forma, dependendo do seu imóvel, ele já deverá lhe informar, com base em seus amplos conhecimentos acerca do mercado, quem será o público-alvo, como estão as condições do mercado, quanto tempo ele estima que levará para que seja terminada a transação entre outros detalhes que somente profissionais atuantes e com experiência poderão lhe passar.

E lembre-se: você contratará um corretor para trabalhar ao seu lado, auxiliando-o a realizar o negócio desejado, e por isso mesmo, seria muito relevante que você acompanhasse todas as ações que são executadas, até mesmo para corrigir rumos e ter suficiente informação para tomar as decisões necessárias.

5. EXPERIÊNCIA COMPROVADA

Além do registro no CRECI, rede de contatos e referências, é preciso consultar a experiência do agente e por quantos anos ele já atua na área, uma vez que quanto maior for seu tempo de exercício, maiores são as suas possibilidades, pois a prática dá lustre às habilidades profissionais.

Você pode procurar verificar, por exemplo, quantas operações foram efetivamente mediadas por aquele profissional. Podemos até mesmo chamar isso de “acervo técnico”, que infelizmente, por falta mesmo de valorização, quase ninguém expõe.

A contratação de um corretor de imóveis é uma tarefa que exige alguma diligência, que vai desde a verificação do registro no CRECI, passando pela confirmação de suas experiências e satisfação de clientes atendidos, bem como por verificar qual será sua estratégia para realização da transação. É preciso também verificar se este profissional possui rede ativa de contatos, o que amplia o alcance de sua atuação. Tais detalhes efetivamente contribuem para uma boa negociação!

Quer saber mais sobre a contratação de corretores? Clique aqui para acessar mais conteúdo e nos conte sua experiência na negociação de algum imóvel e de como os serviços de um corretor foram determinantes para o seu resultado.

Compartilhe, curta, recomende:

Deixe um comentário