Comissão de um corretor de imóveis: como funciona?

corretor de imóveis

A profissão de corretor de imóveis vem ganhando destaque por causa da crescente profissionalização do setor e do maior reconhecimento da sociedade sobre a importância do trabalho realizado pelos corretores. Embora não seja exigida uma formação superior específica, essa é uma atividade regulamentada em lei e fiscalizada pelos conselhos regionais, os CRECI’s, que determinam regras de condutas – o Código de Ética Profissional – a serem obedecidas pelo profissional no exercício de suas atividades, entre elas os limites éticos para cobrança de honorários por seus serviços.

No post de hoje, vamos ver como funciona a remuneração desses profissionais, comumente chamada de comissão, e quais regras devem ser seguidas. Confira!

Quanto ganha um corretor de imóveis?

Segundo a tabela divulgada pelo CRECI do estado de São Paulo, um corretor de imóveis pode obter ganhos distintos quando vende imóveis urbanos, rurais, industriais ou, ainda, na venda judicial de um imóvel. Essas comissões são definidas em valores percentuais sobre o valor da venda efetivamente realizada.

Para os imóveis urbanos e industriais, a comissão varia de 6 a 8%; para imóveis rurais, varia de 6 a 10%; e para as vendas judiciais, a comissão tem um valor fixo de 5%. Considerando empreendimentos imobiliários, este percentual é de 4 a 6%.

Para imóveis financiados, é considerado o valor integral da operação, e não o valor pago entre as partes ou o valor do financiamento. E se o pagamento de uma compra envolver a entrega de um outro imóvel como parte ou total pagamento, o que se chama permuta, entende-se que há na realidade 2 negócios de venda e compra ocorrendo, e então a comissão é calculada sobre todas as vendas. 

Se mais de um corretor for contratado para concretizar a venda, a comissão deve ser dividida igualmente entre eles, a não ser que tenha sido acordado de forma diversa previamente.

Quem deve pagar a comissão ao corretor de imóveis?

O dever de pagar honorários a um corretor, é daquele que o contratou, podendo ser o vendedor ou o comprador, o locador ou o locatário, assim como o demandante de uma avaliação ou de qualquer outro serviço que se entenda que o corretor poderá prestar em cada caso.

Naturalmente, tal condição é contratada previamente, sendo lícito qualquer ajuste entre os interessados, desde que respeitados os limites do Código de Ética Profissional. Por exemplo, o Código de Ética proibe o corretor de receber remuneração dos dois lados no negócio intermediado…

É senso comum acreditar que o dever de pagar pelos serviços de mediação é sempre do dono do imóvel negociado, e esse conceito, apesar de equivocado, tem algum fundamento pois quase sempre é iniciativa do proprietário oferecer o seu bem à negociação, contratando primeiro o corretor, mas pode ocorrer justamente o contrário.

Como é o efetivo recebimento da remuneração pelo corretor?

Como os corretores de imóveis são profissionais liberais, eles podem atuar como autônomos, empregados ou associados a escritórios profissionais.

Em qualquer dos casos em que haja vínculo entre o corretor com imobiliárias, empresas ou sociedade de profissionais, diante do cliente do serviço, o corretor representa a organização da qual faz parte, e em razão disso mesmo, realiza seus serviços sempre em conjunto com ela, tendo direta ou indiretamente múltiplos apoios para realizar com sucesso seus trabalhos. Neste caso, corretor e organização partilham o resultado útil do trabalho conjunto, assim entendida a remuneração auferida pelos serviços prestados. 

O corretor empregado, aquele que tem registro de emprego e carteira assinada por uma empresa imobiliária ou outra qualquer, provavelmente terá salário fixo e atenderá a todas as regras que regem o emprego, podendo ou não ter participação direta, na forma de comissionamento por vendas, nas receitas por ele geradas. 

Como funciona a comissão na locação de imóveis?

A locação de imóveis é outro tipo de negócio imobiliário cuja remuneração é orientada pelos CRECI’s. Se um corretor intermedia um aluguel de longa permanência de um imóvel, fará jus à remuneração no equivalente ao valor de 1 aluguel mensal. Normalmente esse valor é devido pelo locador do imóvel, ou seja, seu proprietário.

Caso se trate de aluguel por temporada – prazos de até 90 dias -, sua remuneração será de 30% do valor total do contrato, também pago, via de regra, pelo proprietário do imóvel que é alugado.

É importante salientar que esses valores estão relacionados à comissão de um corretor de imóveis — e que essa não é a única forma de um corretor de imóveis obter ganhos. O ganho mensal total dependerá da qualidade do trabalho do profissional, que pode ainda desempenhar atividades de avaliação imobiliária, elaboração de contratos e trâmite de documentos, dentre outras tarefas. A comissão é uma parte fundamental do ganho de um corretor, talvez a maior, mas ganhar menos ou mais dependerá unicamente do nível de dedicação desse profissional à sua atividade.

Você já sabia como funciona a comissão de um corretor de imóveis e as funções que ele pode desempenhar? Ficou alguma dúvida sobre o assunto? Conte para a gente nos comentários!

Compartilhe, curta, recomende:

Deixe um comentário