Avaliação de imóveis: 4 erros mais comuns de quem compra e aluga!

imagem ilustrativa de avaliação de imóveis

Fazer uma avaliação de imóveis antes de comprar ou alugar um é muito importante, e isso já é conhecimento de muitas pessoas. Porém, saber a maneira correta de realizar essa análise ainda é menos comum.

Como é inevitável, essa desinformação acaba levando a erros. Por isso, neste artigo, selecionamos os 4 equívocos mais comuns de quem compra ou aluga na hora de fazer a avaliação do imóvel pretendido.

Não estamos falando aqui daquela avaliação profissional cujo objeto final é o estabelecimento de um preço, mas sim, daquela avaliação de quem deve concluir se aquele imóvel é ou não é conveniente para se morar. Continue lendo para saber mais!

Não considerar o impacto do sol no local

Um dos principais erros cometidos na hora de considerar um imóvel para comprar ou alugar é ignorar o impacto que o sol pode ter. Muitas pessoas pensam nele apenas como um fator de iluminação, mas a verdade é que ele também age como um regulador de temperatura.

Funciona da seguinte forma: quando estamos em uma região muito quente, como o Nordeste brasileiro, por exemplo, o mais comum é que as pessoas procurem por um imóvel que não vá receber tanto sol direto, especialmente à tarde, para não sofrer com um ambiente muito quente dentro de casa.

Nesse caso, o mais interessante é optar por um imóvel que fique no que chamamos de “nascente” do prédio, ou seja, na parte que recebe menor incidência do sol da tarde.

Já quando estamos numa região mais fria, como o Sul do país, o mais interessante é um imóvel que receba bastante luz solar mesmo no inverno, para esquentar o ambiente e poupar o gasto com aquecedores, o que se têm na “face norte” das edificações. Quando se trata de casa, o ideal é que sua posição no terreno e seus recuos também favoreçam essa insolação.

Por isso, não esqueça de conferir qual é a posição do imóvel que você quer comprar ou alugar em relação ao sol, para não ter problemas com a temperatura depois de adquirir a propriedade.

Ignorar o ambiente ao redor do imóvel na avaliação

Quando se pensa no conceito de avaliação de imóveis, costuma-se pensar única e exclusivamente no imóvel em si. Será que a casa está pintada? Como estão as telhas? E a fiação elétrica? Muitos cometem o erro de ignorar todo o ambiente ao redor do edifício na avaliação também — e pagam caro por isso.

É necessário considerar a rua e o bairro onde o imóvel está localizado, já que esses espaços vão ter um impacto direto na sua vida cotidiana. Será que a rua do seu imóvel tem muito barulho durante a noite? Existe algum transporte público por perto? Esse bairro é seguro?

Desconhecer o significado de “vícios ocultos”

O termo vícios ocultos, no contexto de avaliação de imóveis, fala sobre aqueles problemas que uma casa ou apartamento apresentam, mas que só podem ser notados sob certas condições. Um exemplo são problemas de infiltração que só aparecem quando chove.

Não estar preparado para identificar esse tipo de situação é um erro que custa muito caro principalmente para quem compra um imóvel, embora quem alugue também pode sofrer com isso, já que afeta diretamente a sua qualidade de vida.

Não contratar um profissional especializado em avaliação de imóveis

Como deu para ver, realizar uma correta avaliação de imóveis não é assunto para iniciantes ou leigos. Erros são muito comuns e podem acabar gerando prejuízos bem significativos no futuro. Porém, mesmo assim, muitas pessoas ainda insistem em não contar com um profissional especializado no assunto para efetuar esse serviço.

Esse é um erro muito grave. Sem um engenheiro ou corretor especializado para fazer a avaliação de imóveis para você, é bem provável que muitos pontos negativos passem despercebidos e, depois do negócio fechado, você perceba que pagou caro por um imóvel cheio de problemas.

Gostou do nosso post? Se você quer conhecer mais segredos de ouro para investir em imóveis, confira nosso artigo com mais 5 dicas espetaculares sobre esse assunto.

Compartilhe, curta, recomende:

Deixe um comentário